USO DE ADITIVOS PROMOTORES DE CRESCIMENTO SOBRE O DESEMPENHO, CARACTERÍSTICAS DE CARCAÇA E BACTÉRIAS TOTAIS DO INTESTINO DE FRANGOS DE CORTE1 Use of growth promoters additives on performance, carcass yield and total intestinalbacteria counts

Description
USO DE ADITIVOS PROMOTORES DE CRESCIMENTO SOBRE O DESEMPENHO, CARACTERÍSTICAS DE CARCAÇA E BACTÉRIAS TOTAIS DO INTESTINO DE FRANGOS DE CORTE1 Use of growth promoters additives on performance, carcass yield and total intestinalbacteria counts in

Please download to get full document.

View again

of 9
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Information
Category:

Developmental Biology

Publish on:

Views: 0 | Pages: 9

Extension: PDF | Download: 0

Share
Tags
Transcript
  USO DE ADITIVOS PROMOTORES DE CRESCIMENTO SOBRE O DESEMPENHO, CARACTERÍSTICAS DE CARCAÇA E BACTÉRIAS TOTAIS DO INTESTINO DE FRANGOS DE CORTE 1   Use of growth promoters additives on performance, carcass yield and total intestinalbacteria counts in broiler Éder Clementino dos Santos 2 , Antônio Soares Teixeira 3 , Rilke Tadeu Fonseca de Freitas 3 , Paulo Borges Rodrigues 3 , Eustáquio Souza Dias 4 , Luis David Solis Murgas 5 RESUMO   Objetivou-se com este trabalho foi avaliar o efeito de aditivos promotores de crescimento em substituição ao antibiótico sobre o desempenho, características de carcaça (partes e gordura abdominal) e bactérias totais do intestino delgado e cecos de frangos de corte de 1 a 42 dias de idade, criados em cama reutilizada e alimentados com rações à base de milho moído e farelo de soja. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado, com um arranjo fatorial 7 x 2, correspondendo a 7 fontes de aditivos (antibiótico,  basal, mananoligossacarídeo (MOS), frutoligossacarídeo (FOS), ácido fumárico, cogumelo desidratado e probiótico) e dois sexos (macho e fêmea). Foram utilizados um total de 1680 pintos, sexados, da linhagem Hybro, distribuídos em 14 tratamentos com 04 repe-tições e 30 aves por parcela experimental. Foi observado efeito significativo (P<0,05) dos aditivos promotores de crescimento sobre a conversão alimentar, eficiência alimentar e fator de produção e verificou-se que o sexo foi influenciado no desempenho de frangos de corte, exceto viabilidade. Os aditivos influenciaram positivamente o rendimento de carcaça, partes e gordura abdominal, sendo que os machos apresentaram melhores resultados de peso ao abate e rendimento de coxa, em relação às fêmeas. Houve efeito somente dos adi-tivos sobre a contagem total de bactérias do conteúdo intestinal do duodeno e cecos, sem portanto, efeito do sexo sobre estas variáveis. As mudanças ocorridas na microbiota intestinal podem ter contribuído para uma sobrevivência estável de microorganismos no ecossis-tema intestinal, proporcionando benefícios ao animal hospedeiro. Conclui-se que os aditivos promotores de crescimento podem ser utilizados na alimentação para frangos de corte, em substituição ao antibiótico, sem comprometer o desempenho e características de carcaça, no período de 1 a 42 dias de idade. Termos de indexação : Antibiótico, desempenho, frangos de corte, promotores de crescimento, rendimento carcaça. ABSTRACT The objective of this study was to evaluate the effect of growth promoters additives on performance, carcass yield (parts and abdominal fat), total intestinal bacteria counts in broilers from 1 at 42 days old fed with corn and soybean meal based diets, compared to antibiotics supplementation diets. In this study were urilized a 7 x 2 factorial design, with seven differents additives (antibiotic, basal, MOS, FOS, fumaric acid, mutshroom extract and probiotic) and two sex (males and females). A total of1680 sexed broilers chickens from Hybro line were distributed in 14 treatments, with 4 replicates and 30 chickens per experimental unit. Effects of growth promotant additives on feed intake , feed conversion and production efficiency factor were measured. Male chickens shown better performance results than females in all parameters evaluated, except for viability. Additives shown positive effects on carcars yield, parts yield, and abdominal fat. Male chickens were heavier at slaughter and shown higher leg yields than females. Additives also influenced total bacteria counts in duodenum and caecum altering the microbiota of the intestinal chickens. These changes in intestinal microbiota might have contributed for a higher stability and  better survival of good microorganisms in the intestinal ecosystem, resulting in benefits for the host. The results of this study shown that the use the addictive as a growth promoters should be used in the feeding for broilers chickens, in substitution to the antibiotic, without affecting the performance and carcass yield , in the period from 1 to 42 days of age. Index terms : Antibiotic, broilers chickens, growth promoter, performance, carcass yield. (Recebido para publicação em 30 de junho de 2003 e aprovado em 20 de setembro de 2004) INTRODUÇÃO A tecnologia empregada no setor avícola tem  procurado otimizar a produção, para atingir melhores resultados econômicos e produzir um alimento mais seguro e saudável para o consumidor. Neste sentido, a avicultura tem se desenvolvido extraordinariamente, devido aos avanços em áreas como genética, nutrição, manejo e sanidade. No entanto, é constante a busca  por alternativas que aumentem a    produtividade animal, 1. Parte da tese apresentada à Universidade Federal de Lavras pelo primeiro autor, para obtenção do titulo de Doutor em Zootecnia, na área Nutrição de Monogástricos – Caixa Postal 3037 – 37.200-000 – Lavras, MG. 2. Professor da Escola Agrotécnica Federal de Inconfidentes – Praça Tiradentes – Centro – Inconfidentes, MG – 37.576-000. 3. Professor do Departamento de Zootecnia/UFLA. 4. Professor do Departamento de Biologia/UFLA. 5. Professor do Departamento de Medicina Veterinária/UFLA.  SANTOS, E. C. dos et al. Ciênc. agrotec., Lavras, v. 29, n. 1, p. 223-231, jan./fev. 2005 224 melhorem a qualidade dos produtos finais e reduzam os custos de produção, sem prejudicar o desempenho zootécnico (Santos et al. 2002). É comum o uso de anti- bióticos em dietas de frangos de corte, como promotores de crescimento na forma subterapêutica, tendo mostrado grandes benefícios na produção animal, principalmente  por melhorar o ganho de peso e conversão alimentar e re-duzir a mortalidade. No entanto, existe uma preocupação crescente de que o uso de doses sub-clínicas de antibióti-cos na alimentação animal atue como fator de risco à saú-de humana, devido a presença de resíduos em produtos a-nimais para o consumo humano, que podem produzir rea-ções alérgicas, toxicidade ou indução de surgimento de re-sistência bacteriana. As campanhas de banimento de antimicrobianos na produção de aves e a opinião pública têm prevaleci-do na restrição dos antimicrobianos na alimentação a-nimal, e diversos aditivos têm sido usados nas rações avícolas como alternativas aos antibióticos, dentre os quais os mananoligossacarídeos, os frutoligossacarí-deos, o ácido fumárico, o cogumelo desidratado e os  probióticos (SANTOS et al., 2002b). Esses aditivos têm  proporcionado condições favoráveis ao desenvolvimen-to de microrganismos benéficos do trato gastrointesti-nal, resultando em melhor digestão e absorção de nutri-entes, além de melhorar a qualidade dos produtos finais, sem causar riscos ao consumidor (FUINI, 2001; SANTOS et al., 2002b). Conduziu-se este trabalho com o objetivo verificar os efeitos da utilização de aditivos promotores de cresci-mento sobre o desempenho, características de carcaça e contagem de bactérias totais do intestino delgado e cecos de frangos de corte no período de 1 a 42 dias de idade. MATERIAIS E MÉTODOS O experimento foi realizado no galpão experimental do Setor de Avicultura da Escola Agrotécnica Federal de Inconfidentes, MG, Brasil (EAFI). Foram utilizados 1680 pintos de corte de um dia, da linhagem Hybro, que foram sexados e pesados antes de serem alojados nas unidades experimentais. Os tratamentos utilizados foram dieta basal (controle – sem aditivos), dieta basal + antibiótico Surmax ®  (avilamicina - 10 ppm), dieta basal + mananoligossacarídeo (Bio-Mos Alltech ®  1,0 kg/t), dieta basal + frutoligossacarídeo (FOS-P Power  ®  300 g/t), dieta basal + ácido fumárico Feed Grade PETROM ®  (10,0 kg/t), dieta basal + cogumelo desidratado (2,7 kg/t) e dieta basal + probiótico (Viva Vida Plus Interchange ® - 1,0 kg/t), composto por Lactobacillus acidophillus (5,4x10 11  UFC/g), L. casei, Streptococcus lacteis (5,4x10 11  UFC/g), S. Faecium (5,4x10 11  UFC/g), Bifidobacterium bifidum (5,4x10 11  UFC/g) e Aspergillus oryzae (5,4x10 11  UFC/g). Os aditivos promotores de crescimento foram adicionados nas dietas segundo as dosagens dos respectivos fabricantes. Foram fornecidas dietas à base de milho moído e farelo de soja, suplementadas com minerais e vitaminas. Os níveis de proteína bruta foram fixados em 21,4% e 19,0%, e os níveis de energia metabolizável fixados em 3000 kcal/kg e 3100 kcal/kg, respectivamente, para as fases de 1 a 21 e 22 a 42 dias de idade (Tabela 1), de acordo com as recomendações de Rostagno et al., (2000). Todas as aves foram criadas em cama reutilizada em dois lotes anteriores, objetivando aumentar o desafio aos aditivos promotores de crescimento. Nas dietas não se utilizou nenhum tipo de coccidiostático, sendo os aditivos testados adicionados sobre as rações prontas. Semanalmente, foram feitas avaliações de desempenho de todas as aves de cada parcela e, ao final do  período experimental, todas as aves foram submetidas à avaliação do consumo de ração, ganho de peso, conversão alimentar, eficiência alimentar, fator de produção e viabilidade. Para avaliação de características de carcaça, no final do período experimental, quatro aves por parcela foram identificadas com etiquetas e submetidas a jejum de seis horas. Logo após, as aves foram pesadas e abatidas  para análise de rendimento de carcaça. As carcaças foram  pesadas sem cabeça, pescoço e pés e o rendimento de carcaça foi obtido com base no peso vivo, o rendimento das partes foi calculado em relação ao peso de carcaça eviscerada (sem pés e cabeça). Para as avaliações microbiológicas, no final do período experimental, foram sacrificadas quatro aves por repetição e coletadas amostras do conteúdo do intestino delgado e cecos das aves, para determinação da contagem total de bactérias. Em cada ave abatida, as seções do intestino e cecos, previamente isoladas e separadas por ligaduras, foram removidas, acondicionadas em sacos plásticos, colocadas em caixa térmica contendo gelo e imediatamente transportadas ao Laboratório de Microbiologia do Setor de Laticínios da Escola Agrotécnica Federal de Inconfidentes. Foi formado um “pool” da digesta de cada segmento, e coletados 5 g do material e imediatamente transferidos para erlenmeyers de 250 ml, contendo 45 ml de água peptonada estéril (10 g de  peptona; 1000 ml de água destilada). Com base nessa amostra, foi obtida uma diluição de 10 -1 , a qual foi utilizada  Uso de aditivos promotores de crescimento sobre o desempenho... Ciênc. agrotec., Lavras, v. 29, n. 1, p. 223-231, jan./fev. 2005 225 para as diluições subseqüentes até 10 -6 . Das diluições 10 -4 , 10 -5  e 10 -6 , foi feito plaqueamento de 0,1 ml de cada dilui-ção e em triplicata em meio PCA (Plate Count Agar) cons-tituído de 5,0 g de triptona; 2,5 g de extrato de levedura; 1,0 g de glicose; 12,0 g de ágar; 1000 ml de água destila-da; pH 7,0 ± 0,2. As placas foram incubadas 48 horas a 32º C; posteriormente foi feita a contagem das unidades for-madoras de colônia (UFC/g). O delineamento utilizado foi inteiramente casualizado em um esquema fatorial 7 x 2, correspondente a 7 fontes de aditivos (antibiótico, basal, MOS, FOS, ácido fumárico, cogumelo desidratado,  probiótico) e 2 sexos (macho e fêmea) com 4 repetições de 30 aves por unidade experimental, alojadas em boxes de 4,4 m 2  por um período de 1 a 42 dias de idade. A avaliação estatística do experimento foi realizada segundo o seguinte modelo estatístico: Y ijk  = µ + A i  + S  j  + AS ij + e ijk Y ijk: observação k  referente ao aditivo i no sexo  j;   µ : uma constante associada a todas as observações; A i efeito do aditivo i, com i = 1, 2, 3, 4, 5, 6 e 7; S  j : efeito do sexo j, com j = 1 e 2; AS ij: efeito da interação entre aditivo i  e sexo  j ; e ijk : erro experimental aleatório associado a cada obser-vação, que por pressuposição, é normal e independente distribuído com média 0 e variância σ 2 . Os resultados foram comparados mediante da análise de variância, utilizando-se o pacote computacio-nal SISVAR (Sistema de Análise de Variância para da-dos Balanceados), segundo Ferreira (2000). As médias foram comparadas pelo teste de Scott Knott ao nível de 5% de probabilidade. RESULTADOS E DISCUSSÃO Os resultados de consumo de ração (g), ganho de peso (g), conversão alimentar, eficiência alimentar (kg/kg), fator de produção e viabilidade (%) estão expressos nas Tabelas 2 e 3. Observou-se que a utili-zação de antibióticos e aditivos promotores de cres-cimento não promoveu melhoria significativa (P>0,05) no consumo de ração e ganho de peso, o que  possivelmente pode ser atribuído às boas condições de manejo e de qualidade das rações. Estes resultados estão de acordo com Dionízio (2001), que não obser-vou efeitos sobre essas variáveis quando do uso de antibióticos e prebióticos. Porém, estes resultados são discordantes dos obtidos por Berrtechini e Hossain (1993) e Henrique et al., (1998), que observaram maior consumo de ração e ganho de peso em aves que receberam antibióticos e probióticos nas dietas. Os machos apresentaram melhores resultados aos 42 dias de idade em comparação às fêmeas, em todos os tratamentos (P<0,05). Estes resultados são similares aos de Loddi et al., (2000). As aves que receberam MOS e FOS apresentaram melhor conversão alimentar em rela-ção aos outros tratamentos, possivelmente pela redução de pH e adsorção de cepas bacterianas patogênicas, re-duzindo a colonização destas e melhorando os proces-sos de digestão e absorção de nutrientes (APAJAHATI e BEDFORD, 1999). Esses resultados estão de acordo com Leedle (2000), que ao avaliar o efeito de MOS co-mo promotor de crescimento, observou melhor desen-volvimento da microbiota intestinal, o que resultou em melhor desempenho das aves. Porém, esses dados são discordantes dos obtidos por Dionízio (2001), que não observou efeito da manose sobre a conversão alimentar. Independente do aditivo utilizado, os machos apresen-taram melhor conversão alimentar. Quanto à viabilidade, não foram observadas diferenças significativas (P>0,05) entre os aditivos. No entanto, as fêmeas apresentaram maior viabilidade, devido ao fato dos machos apresentarem um crescimento corpóreo mais rápido e apresentarem maior susceptibilidade a problemas cardio-pulmonares, o que  pode ter influenciado na mortalidade. Esses dados são discordantes dos obtidos por Henrique et al., (1998), que observaram uma redução da mortalidade em aves que receberam probióticos nas rações. Observou-se maior eficiência alimentar nas aves que receberam prebióticos (MOS e FOS), em comparação às que receberam outros aditivos. Possivelmente, os prebióticos causaram uma redução do  pH intestinal, deprimindo o crescimento de microrganismos patogênicos e favorecendo uma microbiota intestinal benéfica, o que representou resultados significativos no desempenho produtivo das aves em condições de desafio sanitário. Estes dados não estão de acordo com os observados por Corrêa et al., (2000) e Dionízio (2001), que não observaram alterações na eficiência alimentar. Observou-se que o fator de produção foi melhor no grupo de aves que recebeu MOS em relação aos outros tratamentos. Esses resultados podem estar relacionados a uma menor taxa de mortalidade e às boas condições de manejo. Tais resultados, estão de acordo com os de Henrique et al., (1998) e Santos et al., (2002b).  SANTOS, E. C. dos et al. Ciênc. agrotec., Lavras, v. 29, n. 1, p. 223-231, jan./fev. 2005 226 TABELA 1 – Composição e valores nutricionais da dieta basal. INGREDIENTE Fase inicial 1 Fase final 1 Milho 55,890 62,245 Farelo de soja 35,950 29,400 Óleo de soja 3,435 3,820 Fosfato bicálcico 1,750 1,650 Calcário calcítico 1,020 0,950 Cloreto de colina (60%) 0,050 0,050 DL-metionina 0,165 0,150 L-lisina 0,052 0,150 Sal comum 0,450 0,382 Suplemento vitamínico 2  0,100 0,100 Suplemento mineral 2  0,100 0,100 Caulin   1,038 1,002 TOTAL 100,00 100,00 COMPOSIÇÃO NUTRITIVA EM(Kcal/kg) 3.000 3.100 Proteína bruta (%) 21,48 19,03 Metionina + cistina (%) 0,890 0,820 Lisina (%) 1,180 1,090 Fósforo Disp. (%) 0,470 0,440 Cálcio (%) 0,980 0,900 Sódio (%) 0,219 0,190 1  Os aditivos beneficiadores do crescimento foram suplementados nas rações em substituição ao material inerte (caulin). 2  Polimix (FATEC S/A): Vitamina A (5.500.000UI), Vitamina D 3  (1.000.000 UI), Vitamina E (6.500 mg), Vi-tamina K 3  (1.250 mg), Vitamina B 1  (500 mg), Vitamina B 2  (2.500 mg), Vitamina B 6  (750 mg), Vitamina B 12  (7.500 g), Ácido fólico (250 mg), Ácido pantotênico (6.500 mg), Biotina (25 mg), Niacina (17.500 mg), Selênio (100 mg), Iodo (500 mg), Ferro (25.000 mg), Cobre (3.000 mg), Zinco (22.500 mg), Cobalto (50 mg), Manga-nês (32.500 mg) e Antioxidante (2.000 mg). Os resultados de peso ao abate (PA), rendimento de carcaça (RC) e rendimento de peito (RP) estão expressos na Tabela 4. Observou-se na interação (P<0,05) entre adi-tivo e sexo que o maior peso de abate ocorreu quando do uso de antibiótico, MOS e FOS para os machos em relação aos outros aditivos, porém, sem efeito para as fêmeas. O comportamento do peso ao abate em função do aditivo foi diferente em relação ao sexo, observando-se menor peso de abate nas fêmeas quando do uso de antibiótico e prebió-tico (MOS e FOS) em relação aos outros aditivos. O maior  peso de abate para os machos, possivelmente, está relacio-nado com o crescimento mais rápido e maior voracidade de consumo de ração, que conferiu maior deposição de  proteína corporal e ganho de peso.  Uso de aditivos promotores de crescimento sobre o desempenho... Ciênc. agrotec., Lavras, v. 29, n. 1, p. 223-231, jan./fev. 2005 227 TABELA 2 – Desempenho de frangos de corte, machos e fêmeas, alimentados com diferentes aditivos no período de 1 a 42 dias de idade. Aditivo Consumo de ração (g) Ganho de peso (g) Conversão alimentar Basal (sem aditivo) 4488 2331 1,92 B Antibiótico 4524 2347 1,92 B MOS 4367 2416 1,80 C FOS 4394 2323 1,88 C Ácido fumárico 4516 2276 1,98 A Cogumelo desidratado 4454 2320 1,92 B Probiótico 4515 2360 1,90 B Macho 4592 a 2446 a 1,87 b Fêmea 4339 b 2232 b 1,94 a Média geral 4465 2339 1,90 CV (%) 3,64 4,66 2,87 Médias com letras maiúsculas distintas, na mesma coluna, diferem (P<0,05) pelo teste Scott-Knott. Médias com letras minúsculas distintas, na mesma coluna, diferem (P<0,05) pelo teste F. TABELA 3 –  Eficiência alimentar, viabilidade e fator de produção, machos e fêmeas, alimentados com diferentes aditivos no período de 1 a 42 dias de idade. Aditivo Eficiência alimentar (kg/kg)Fator de produção Viabilidade (%) Basal (sem aditivo) 0,51 B 284,87 B 97,00 Antibiótico 0,51 B 277,87 B 98,75 MOS 0,55 A 315,37 A 99,12 FOS 0,54 A 292,00 B 95,25 Ácido fumárico 0,50 B 265,37 B 97,37 Cogumelo desidratado 0,51 B 273,50 B 95,62 Probiótico 0,51 B 278,12 B 97,37 Macho 0,53 a 299,07 a 96,17 b Fêmea 0,51 b 268,67 b 98,25 a Média geral 0,52 283,87 97,21 CV (%) 3,65 9,23 3,68 Médias com letras maiúsculas distintas, na mesma coluna, diferem (P<0,05) pelo teste Scott-Knott. Médias com letras minúsculas distintas, na mesma coluna, diferem (P<0,05) pelo teste F.
Related Search
Similar documents
View more...
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks