O espólio campaniforme do sítio pré-histórico do Freixo (Reguengo do Fetal, Batalha)

Description
The prehistoric site of Freixo, located on the northern slopes of the Candeeiros mountain range, presents occupations related to the Early Neolithic and the Late Chalcolithic, the first period being statistically better represented. The artifacts

Please download to get full document.

View again

of 10
All materials on our website are shared by users. If you have any questions about copyright issues, please report us to resolve them. We are always happy to assist you.
Information
Category:

Self-Help

Publish on:

Views: 0 | Pages: 10

Extension: PDF | Download: 0

Share
Tags
Transcript
  Patrocinador oficial FUNDAÇÃO MILLENIUM BCP 150 anos    Coordenação editorial: José Morais Arnaud, Andrea Martins, César NevesDesign gráfico: Flatland DesignProdução: DPI Cromotipo – Oficina de Artes Gráficas, Lda.Tiragem: 400 exemplaresDepósito Legal: 366919/13ISBN: 978-972-9451-52-2Associação dos Arqueólogos PortuguesesLisboa, 2013 O conteúdo dos artigos é da inteira responsabilidade dos autores. Sendo assim a As sociação dos Arqueólogos Portugueses declina qualquer responsabilidade por eventuais equívocos ou questões de ordem ética e legal.Os desenhos da primeira e última páginas são, respectivamente, da autoria de Sara Cura e Carlos Boavida.Patrocinador oficial Apoio institucional   481 Arqueologia em Portugal – 150 Anos o espólio campaniforme do sítio pré -histórico do freixo (reguengo do fetal, batalha) Marco António Andrade  / FCT; UNIARQ – Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa / folha -de -acacia@iol.pt  Emili Nordén Ramos  / UNIARQ – Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa / emiliramos87@yahoo.se RESUMO O sítio pré -histórico do Freixo, situado nas encostas setentrionais da Serra de Candeeiros, apresenta ocupações referentes ao Neolítico antigo e ao Calcolítico final, sendo o primeiro período estatisticamente mais expressivo. O espólio relativo ao último período caracteriza -se por cerâmicas campaniformes (lisas e com decoração geométrica incisa) e alguns poucos artefactos líticos claramente associáveis às comunidades calcolíticas (tais como pontas de seta, utensílios sobre lâmina espessa e machados de secção rectangular), permitindo evidenciar uma ocupação ténue do espaço (um pequeno acampamento sazonal?) – sendo a escassez de espólio arqueológico apenas reflexo dessa funcionalidade específica. No entanto, a carência de contextos campaniformes na área da Alta Estremadura legitima a sua divulgação. ABSTRACT The prehistoric site of Freixo, located on the northern slopes of the Candeeiros mountain range, presents occupations related to the Early Neolithic and the Late Chalcolithic, the first period being statistically better represented. The artifacts related to the latter period are characterized by Beaker pottery (plain and with incised geometric decorations) and a few lithic tools clearly assignable to the Chalcolithic communities (such as arrow -heads, tools using large flint blades and axes with rectangular cross -section), allowing to recognize a sporadic occupation (a small seasonal campsite?) – the scarcity of the archaeological remains acting only as a reflection of that specific functionality. However, the lack of Beaker contexts in the area of the Upper Estremadura legitimates its disclosure. 1. LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA E CONTEXTOS DE INTERVENÇÃO O sítio pré -histórico do Freixo situa -se na freguesia do Reguengo do Fetal, concelho da Batalha. Localiza - -se nas encostas Noroeste do Maciço Cal cá rio Es-tre me nho, no sopé da Serra da Barrosi nha, um dos  bastiões mais avançados da Serra de Cande eiros. Implanta -se sobre um esporão alongado, numa pai-sa gem de relevos marcados, na confluência de dois cursos de água subsidiários da Ribeira da Várzea. Geo logicamente, situa -se sobre calcários do Ox for- diano a Kimeridgiano (Jurássico), entre argilitos e cal cários margosos do Kimeridgiano (Jurássico).O sítio foi identificado e intervencionado por equi-pas da Crivarque, Lda., dirigidas pelo primeiro sig-natário e por Adelaide Pinto, no âmbito de acções de minimização do projecto IC9 – São Jorge/Fátima. Logo desde as primeiras observações de superfície, foram identificadas ocupações relativas ao Neo lí-tico antigo e Calcolítico final – realidade confirmada pelos trabalhos de escavação (Andrade, no prelo) (Figura 1). 2. ESTRATIGRAFIA OBSERVADA E CONTEXTOS DE RECOLHA A área central do Freixo regista depósitos seriamen-te perturbados devido à erosão característica de am- bientes calcários de topo (encontrando -se o calcário lapializado de base praticamente à superfície em algumas áreas), à exploração manual de pedra regis-tada até meados do século passado e à agricultura de pequena escala efectuada até à actualidade. A estra-   482 tigrafia registada é simples e comum a todas as áreas escavadas – tendo sido referenciadas, genericamen-te, quatro unidades estratigráficas.As UEs 1 e 2 tratam -se, basicamente, do mesmo de-pósito com diferentes graus de perturbação – corres-pondendo a UE 1 à camada superficial composta por sedimento siltoso bastante solto e a UE 2 a uma ca-mada de matriz semelhante sendo contudo bastante mais compacta. Estes depósitos continham, sem di-ferenciação vertical, espólio atribuível ao Neolítico antigo e ao Calcolítico final (este último período especialmente representado nas Áreas 3 e 7). A UE 3 trata -se, basicamente, de uma camada interfacial entre a UE 1/2 e a terra rossa , sendo composta pela mistura de ambas. Esta camada encontra -se corta-da em certas áreas pelas “bolsas” resultantes da ex-ploração manual de pedra (UE 4), preenchidas com sedimento semelhante à UE 1/2 com presença de clastos calcários e ausência de espólio arqueológico. 3. ESPÓLIO ARQUEOLÓGICO O espólio cerâmico é o elemento com maior peso percentual, correspondendo a 61,4% do conjunto. Os exemplares com elementos caracterizadores dividem -se entre registos referentes ao Neolítico an-tigo (23,6%) e ao Calcolítico final (1,6%), registando--se uma larga percentagem de cerâmica lisa (74,8%). Desta maneira, percebe -se que a ocupação principal do sítio (e o grosso da informação artefactual) cor-responderá ao Neolítico antigo. Poder -se -á sempre argumentar que uma qualquer parte da cerâmica lisa poderá corresponder à ocupação campanifor-me – no entanto, a comparação morfológica entre as pastas dos elementos lisos e aqueles com elementos caracterizadores permite incluir grande parte do conjunto da cerâmica lisa no Neolítico antigo.Assim, os critérios de distinção das cerâmicas lisas atribuíveis ao conjunto campaniforme basearam -se em dois factores: na forma (tipos claramente cam-paniformes, tais como caçoilas, taças de tipo Pal mela e taças de bordo espessado externamente); na pas-ta (elementos não plásticos muito finos, cozeduras maioritariamente redutoras, opondo -se ao comum do conjunto atribuível ao Neolítico antigo do sítio). Tem -se consciência que poderão ser critérios não muito rigorosos, mas baseiam -se na noção empírica do conjunto artefactual do Freixo.No conjunto isolado no âmbito deste estudo, e a nível morfo -tipológico, reconhecem -se taças de tipo Pal mela (20,8%), caçoilas (4,2%), “fruitstands” (4,2%), taças de bordo espessado externamente (20,8%), esferoidais simples (25%), taças simples (4,2%) e formas indeterminadas (20,8%). Inde pen-den temente da forma, 62,5% do conjunto corres-ponde a exemplares lisos – estando os exemplares decorados representados por 37,5%. Referem -se estes últimos a decorações geométricas exclusiva-mente incisas, compostas por bandas de métopes dispostas abaixo da linha do bordo (sendo esta a te-mática decorativa melhor representada), caneluras horizontais paralelas e incisões finas convergentes. Nas taças de tipo Palmela, o lábio encontra -se igual-mente decorado, com incisões paralelas oblíquas ou  bandas de losangos preenchidos. Os recipientes apresentam pastas compactas a semi--compactas, com elementos não plásticos muito fi-nos (quartzo e calcário), com superfícies maioritaria-mente alisadas (com alguns poucos exemplares com alisamento espatulado ou com aguada) (Figura 2 e 3).Em relação ao espólio lítico talhado, e apesar do seu volume relativamente elevado, aquele que é clara-mente associável ao Calcolítico final é reduzido (cer-ca de 1,8% do total dos artefactos de sílex). Contam--se, neste conjunto, um "elemento de foice", duas pontas de seta de retoque bifacial cobridor (de base côncava e pedunculada), utensílios sobre lâmina espessa (raspadeiras e furador), lâminas retocadas – para além lâminas simples obtidas por pressão com talão preparado. São, com efeito, elementos que não se enquadram nos conjuntos conhecidos do Neolítico antigo estremenho.Da mesma maneira, no conjunto dos artefactos de pedra polida, apenas se pode destacar a presença de um machado de secção rectangular e corpo inteira-mente polido – claramente distinguível dos exem-plares de secção circular/elíptica e corpo picotado atribuíveis às etapas iniciais do Neolítico e presentes igualmente no sítio (Figura 4).  4. O SÍTIO PRÉ -HISTÓRICO DO FREIXO NO CONTEXTO DO CALCOLÍTICO FINAL DO MACIÇO CALCÁRIO ESTREMENHO. O primeiro facto a referir na definição das modali-dades de ocupação do espaço durante o Calcolítico na Estremadura portuguesa é a evidente dispari-dade do número de contextos identificados quan-do se comparam os dados disponíveis para a Baixa   483 Arqueologia em Portugal – 150 Anos Estremadura (área estrita da península de Lisboa) com aqueles disponíveis para a Alta Estremadura (área do Maciço Calcário Estremenho e bacias de drenagem adjacentes).Com efeito, será supérfluo referir os numerosos con-textos campaniformes, tanto habitacionais como funerários, registados na área das penínsulas de Lis- boa (e Se túbal) – sendo unanimemente aceite que se trata de uma área onde se desenvolve um grupo cultural homogéneo e autónomo no âmbito do Cal-co lítico pleno e final europeu.A distribuição campaniforme na Alta Estremadura (a partir do limite setentrional teórico de disposi-ção dos grandes povoados fortificados calcolíticos, marcado pelo eixo estabelecido entre os povoados de Outeiro da Assenta e Vila Nova de São Pedro) encontra -se assim deficientemente caracterizada, consequência de escavações antigas em contextos funerários ou de recolhas de superfície esporádicas em contextos habitacionais – contando -se somente com as recentes tentativas de compilação esboçadas por J. P. Tereso (2004) e J. L. Cardoso (2012). Será desta maneira necessário um maior investimento na investigação desta problemática específica – no âm- bito da delimitação de uma rede de povoamento que será, evidentemente, bem mais cadenciada do que aquilo que os dados de que dispomos actualmente permitem delinear – se tivermos em consideração especificamente a disponibilidade de recursos dis-poníveis nesta área, nomeadamente a quantidade e variedade de matérias -primas siliciosas.Neste contexto e no âmbito do Calcolítico final, o sítio pré -histórico do Freixo inscreve -se num dia-grama de ocupação do espaço ainda não muito bem delimitado. Relação directa poderá ser estabelecida com os níveis campaniformes reconhecidos na gru-ta do Buraco Roto (informação pessoal de António  José Teixeira), relativamente próxima do Freixo (cerca de 2,5 km) e facilmente inscrita na mesma rede de povoamento. Tratam -se, contudo, de escas-sos fragmentos aparentemente incluídos no grupo Internacional – teoricamente mais recuados, em termos cronológicos, dos recipientes campanifor-mes reconhecidos no Freixo, em que as temáticas decorativas se inserem exclusivamente no campo dos motivos geométricos incisos.Com efeito, o conjunto identificado no Freixo enquadra -se culturalmente nos episódios campa-niformes atribuíveis ao último terço do 3º milénio a.n.e., caracterizando -se pelas taças de bordo espes-sado e as cerâmicas com decoração geométrica inci-sa – destacando -se como motivo mais característico, as bandas de métopes dispostas abaixo da linha do  bordo aplicadas em taças de tipo Palmela.Salienta -se, neste conjunto, a presença de uma “fruitstand”, forma rara e normalmente atribuível ao campaniforme tardio (2300 -2100 BCE), de acor-do com os dados fornecidos pelos exemplares singu-lares incluídos nos grupos do Baixo Tejo (São Pedro do Estoril 1, Porto Covo), Carmona (El Acebuchal), Ciempozuelos (El Ventorro, Alto del Tomo), Alme-ría (Cova dels Gats) e Salomó/Pirenaico (Pás du Noyer). Tal cronologia confirma -se com a datação (se não directa, pelo menos associável) de São Pedro do Estoril 1. Esta datação, realizada sobre falange humana inserida em espiral de ouro (Beta -178468: 2330 -2060 BCE, seg. Gonçalves, 2005, p. 68), pode ser extensível ao célebre “enterramento do casaco” que inclui, para além de uma espiral de ouro, uma das duas “fruitstands” recolhidas naquela gruta ar-tificial (Figura 5).E neste contexto, onde enquadrar o sítio do Freixo, no âmbito de uma rede de povoamento coesa? Tendo em conta o baixo volume de espólio claramente atri- buível às comunidades do Calcolítico final aqui pre-sente, poder -se -á sugerir uma ocupação esporádica do espaço (um pequeno acampamento sazonal, uma pequena unidade familiar) enquadrada num contex-to populacional ainda não muito bem definido.Como referido, o grosso da informação relativa ao Calcolítico final na Alta Estremadura refere -se prin-cipalmente a contextos funerários, destacando -se os casos da gruta da Buraca da Moura da Rexaldia e o conjunto das grutas de Alcobaça (embora em ape-nas uma de elas, Carvalhal de Turquel, tenha sido recolhida cerâmica campaniforme – recolhendo -se nas restantes espólio de filiação campaniforme, tais como “braçais de arqueiro”, pontas de tipo Palmela, punhais de lingueta). Refira -se igualmente a sua presença nas grutas artificiais de Pernes e Ribeira de Crastos, assim como a curiosa ocorrência na gruta de Redondas IX – em que, segundo, R. Harrison (1977, p. 155), um vaso liso campaniforme continha uma grande quantidade de sementes de hordeum .Os contextos habitacionais resumem -se a escassos e mal caracterizados sítios. Será de referir o sítio de Ataíja (informação pessoal de João Maurício), espacialmente associado às grutas de Alcobaça, as-sim como o recentemente divulgado sítio de São
Related Search
Similar documents
View more...
We Need Your Support
Thank you for visiting our website and your interest in our free products and services. We are nonprofit website to share and download documents. To the running of this website, we need your help to support us.

Thanks to everyone for your continued support.

No, Thanks